Receba nossas novidades

* indicates required

From the blog

O tal do xixi fora da caixinha

Olá, pet lovers!

O post de hoje é muito importante e informativo, apesar de ser apenas uma abordagem bastante superficial sobre o tema.

Vou falar sobre a micção inapropriada em gatos, ou seja, o temido e preocupante xixi fora da caixinha!

A ideia desse post surgiu porque há algum tempo eu fiz um workshop excelente sobre o assunto com a doutora Daniela Ramos, da Psicovet. No curso ela buscou explicar as maneiras de identificar quando um caso de xixi fora da caixinha é um problema clínico (como uma infecção urinária ou cistite) ou comportamental (especialmente toileting, que é realmente fazer xixi no lugar errado, e spraying, que é o comportamento de marcação).

É importante saber tratar casos de micção inapropriada em gatos por inúmeros motivos, e posso destacar alguns: além da questão médica (como eu mencionei acima, o gatinho pode estar com infecção urinária, cistite, problemas renais, etc.), há o problema social do gatinho que faz xixi em lugares errados com a família. Algumas pesquisas mostram que os principais motivos para os gatos serem abandonados ou devolvidos a um abrigo são problemas comportamentais, incluindo aí o xixi fora do lugar.

Os profissionais que fazem atendimentos comportamentais de gatos (como essa Pet Lady que vos fala!) relatam que a eliminação fora da caixa de areia estão em segundo lugar no ranking de queixas dos tutores, perdendo apenas para a agressão entre gatos.

Para solucionar o problema do xixi mais rapidamente é necessário saber diferenciar com segurança o que é problema médico, toileting e marcação.

Primeiramente, acho que vale deixar claro que nada substitui o trabalho do médico veterinário. Se o seu gatinho está fazendo xixi fora da caixinha, leve-o ao veterinário imediatamente. A primeira coisa que deve ser feita é descartar doenças e problemas de saúde. O veterinário irá fazer diversos exames, avaliação clínica e irá determinar se seu miau precisa de tratamento, medicação, etc.

A eliminação inadequada pode ser um problema médico, um problema comportamental ou ainda um problema que envolve as duas questões, como por exemplo a Síndrome de Pandora – que, como vocês podem imaginar, tem seu nome derivado de uma analogia à caixa de Pandora da mitologia grega. Essa síndrome pode ser extremamente enigmática e apresentar sintomas de basicamente todas as doenças felinas possíveis.

É chamada de Síndrome de Pandora a combinação de sinais e distúrbios do gato que sofre de doenças urinárias, especialmente a Cistite Intersticial, que é uma doença decorrente de stress. É um problema médico sério que deriva de um problema comportamental. Primeiro trata-se a questão médica, e depois deve-se tratar a questão comportamental para que a infecção não volte em uma nova situação estressante.

Isso mostra que muitas vezes os sintomas urinários de um gatinho são uma consequência de alterações bem maiores e importantes. Para definir isso é necessário que haja um rigoroso processo investigativo por parte do veterinário!

Dito isso tudo, há algumas formas de identificar se o gatinho que está errando o lugar do xixi tem um problema clínico ou comportamental. Essas dicas são boas não só para o veterinário, o comportamentalista e pet sitter do gatinho, mas para o próprio tutor poder distinguir qual o comportamento do gatinho ao fazer xixi fora da caixinha.

A primeira pergunta tem que sempre ser: SERÁ QUE É UM PROBLEMA MÉDICO?

Taí uma pergunta muuuuito difícil, não é? E quem sabe responder com exatidão é o médico veterinário! Entretanto, existe alguns indícios que apontam para um problema médico que o tutor pode observar no gatinho que está fazendo xixi no lugar errado:

  • O xixi é feito em paninhos, almofadas, sofás, ou seja, superfícies que absorvem o líquido;
  • Geralmente ocorre o aumento da quantidade de xixi e da frequência;
  • Aumenta, também, a urgência urinária: às vezes não dá tempo de o gatinho chegar à caixa de areia, por exemplo;
  • Pode haver dor para fazer xixi, e também é possível aparecer sangramento e/ou pus na urina do gato – isso pode criar, na cabeça do gatinho, uma associação entre a dor e a caixa de areia, e aí o gatinho passa a usar a caixinha cada vez menos, justamente por ter medo de sentir dor.

A identificação desses itens pode ajudar o médico veterinário a detectar uma doença. Caso haja alteração física, o gatinho deve ser tratado por um clínico e não um comportamentalista, pois não há uma questão comportamental envolvida.

Se você já levou seu miau ao veterinário e houve a constatação que ele não tem um problema médico, é hora de verificar se ele apresenta, na verdade, um problema comportamental.

Existem vários tipos de problemas comportamentais que podem levar o gatinho a fazer xixi fora da caixinha, mas aqui vou focar nos dois problemas mais comuns: toileting e spraying. O primeiro é quando o gatinho usa outras superfícies como banheiro, e o segundo é quando o gato faz marcação de território.

Os motivos que levam um gatinho a ter um problema comportamental relacionado ao xixi são inúmeros, como trauma, stress, territorialismo, agressividade… No caso de questões comportamentais, os sinais que devemos procurar quando o gato faz xixi fora da caixinha irão nos ajudar a entender quais são as causas do problema.

Observe os seguintes itens:

  • postura ao fazer xixi: agachado ou em pé;
  • superfície escolhida: panos, sofás, paredes, muros, objetos, etc.;
  • localização: um cômodo específico dentro de casa, a cama do tutor, o muro do quintal;
  • quantidade de xixi: muito xixi ou apenas um jato;
  • se ele continua usando a caixinha ou não.

TOILETING

Ao contrário do que muita gente pensa, quando se trata de problemas comportamentais, o maior número de casos é de toileting, e não marcação.

O gato que apresenta comportamento de toileting geralmente fica agachado para fazer xixi, como se estivesse usando a caixa de areia – de fato, é como se ele estivesse substituindo a caixa por outro local. Ele comumente escolhe superfícies horizontais (como o próprio chão ou prateleiras) e não é raro que ele escolha locais que absorvam o líquido, mas não costumam escolher uma área específica da casa para se aliviar. Quando ele faz xixi, é muuuito xixi! Isso porque o gatinho provavelmente não usará mais a caixinha de forma alguma, às vezes nem para o cocô! Por último, vale dizer que é um problema mais comum em fêmeas do que em machos.

Ou seja, o que acontece com o gato que faz toileting é que ele deixa de usar a caixinha de areia para usar outros lugares como banheiro. Tanto é que normalmente o gato tenta cavar e cobrir o xixi, como se estivesse na caixa mesmo. Isso ocorre provavelmente porque a caixinha de areia dele não está muito interessante o confortável…

Para solucionar um caso de toileting, uma investigação severa deve ser feita em torno caixa de areia, seu tamanho, limpeza, tipo de areia, etc. Na imensa maioria das vezes o problema está relacionado ao banheiro do gato: local da caixa (local barulhento, escuro, perto da comida e água do gatinho), modelo da caixa (coberta ou descoberta, com laterais muito altas), tamanho da caixa, cheiro de produtos de limpeza, frequência da limpeza, experiência traumática na caixa (por exemplo, um susto), quantidade de caixas (o ideal é a quantidade de gatos + 1: ou seja, se você tem 3 gatos em casa, deve ter no mínimo 4 caixas, sempre espalhadas pela casa), tipo de substrato utilizado (areia fina ou grossa, sílica, granulado de madeira, etc.), entre outros.

Geralmente, o problema de toileting é resolvido em alguns passos: limpar rigorosamente as caixas (sem utilizar produtos com cheiro forte!), encontrar um substrato adequado para o gato, trocar a caixa (se estiver muito velha ou quebrada), limpar os locais que o gato estava usando para fazer xixi com um limpador enzimático ou bacteriológicos (só com esses tipos de limpadores é possível remover completamente o cheiro de xixi), impedir o acesso do gatinho ao local que ele fazia xixi (exemplo: colocar papel alumínio ou plástico bolha), e jamais punir!!!

Sobre o tipo de substrato: deixe seu gatinho te falar qual ele gosta! Sei que parece engraçado, mas isso é muito importante. Exponha seu gatinho a diversos tipos de substrato, e ele vai te mostrar qual o agrada mais. Compre caixas novas e coloque em cada uma um tipo de areia diferente, e acompanhe a reação e uso do seu gatinho. Assim você irá descobrir qual é melhor para ele!

DICA: em casas com vários andares, é importante que haja um banheiro para o gato em cada andar! Isso fará com que o gato tenha múltiplas opções de caixinha para quando bater a vontade e ele sentirá que tem domínio sobre todo o território da casa.

DICA 2: às vezes o problema não é pouca limpeza, mas sim a LIMPEZA EXAGERADA! Evite usar produtos perfumados, álcool, Lysoform, etc, que podem incomodar o olfato sensível do gatinho e afastá-lo ainda mais da caixa. Use sempre produtos neutros, sem perfume.

SPRAYING

O gatinho que faz spraying apresenta um comportamento bem diferente daquele que faz toileting, então a busca por sinais e razões tem que ser diferente também.

A grande maioria dos gatos que fazem marcação são machos e a superfície de preferência são verticais, como muros, portas, paredes, etc. São super raros casos de spraying na horizontal. A quantidade de xixi é sempre bem pequena, só um jato mesmo! Normalmente o gato se aproxima do local escolhido através do cheiro, em seguida ele explora o local, se vira de costas, eleva a cauda e solta o jato de xixi para trás. O gato que faz marcação não vai cavar e cobrir o xixi justamente porque ele quer marcar o local com seu próprio cheiro da melhor maneira que ele conseguir.

Para solucionar o spraying, é necessário que se faça uma investigação de questões sociais do gato. Alguns dos motivos para a marcação são: relação ruim com outros gatos (dentro ou fora de casa, quando um gato da vizinhança entra no quintal da casa, por exemplo), mudança de ambiente, cheiros diferentes, ansiedade de separação do tutor, objetos novos com cheiros desconhecidos, um membro novo na família (chegada de um bebê ou de um parente novo que vem morar com a família), entre outros.

E como tratar o problema comportamental de spraying? A resposta está, principalmente, no enriquecimento ambiental! Ensinar seu gatinho a marcar o território dele de outra maneira que não através do xixi é o melhor caminho. Estimule formas corretas de marcação: arranhadores, brinquedos, lugares onde o gato pode passar o rosto para liberar seus feromônios, prateleiras que o ajudem a observar o território de cima, túneis, torres… Todos esses artifícios vão ajudar, e muito, seu gato a parar com a marcação. Você pode, também, tornar as áreas que foram marcadas menos interessantes, colocando materiais que serão menos atrativos para o gatinho.

Assim como no caso de toileting, é muito importante limpar a área onde há xixi com limpadores enzimáticos e bacteriológicos, para evitar que o gato se sinta atraído para aquele local novamente. Além disso, a castração ajuda muito a acabar com a marcação, pois diminui o territorialismo dos gatos e facilita a convivência em lares com diversos gatinhos.

Em muitos casos pode-se usar também o Feliway, um análogo sintético do feromônio facial felino. O Feliway – que funciona apenas em casos de marcação – se for associado às outras dicas que dei acima, pode auxiliar no tratamento para a marcação em apenas algumas semanas.

Em casos extremos de marcação pode-se se usar até medicação antidepressiva, sempre por indicação do veterinário, claro!

IMPORTANTE: em lares que há marcação, há stress! Por isso é muito, muito, muito importante tratar esse comportamento o mais rápido e da melhor maneira possível.

A dica mais importante que deixo hoje é NUNCA BRIGAR com seu gatinho quando ele fizer xixi no local errado! Brigar só irá gerar mais stress e poderá, inclusive, piorar o caso. Seu miau não sabe que está fazendo algo errado, e gritar com ele não vai fazê-lo entender isso. Mostre ao gato qual é a forma certa de fazer xixi, torne a caixinha um local mais interessante e confortável para ele e ajude-o a “dominar” seu território!

Espero que esse post gigante tenha fica bom e sido útil para vocês.

Beijos,

Carol

2 comments

  1. Olá Carol, como vai?

    Muito legal sua página! Gostei muito do seu perfil e assim que precisar de uma sitter para meus 3 felinos, já sie quem chamar!

    Minha gata começou a fazer cocô na varanda ao invés de usar as caixas de areia que ficam no banheiro de serviço.. Acha que posso associar aos mesmos fatores que o xixi? Ela já fará um check up completo na semana que vem e assim já descarto qualquer problema de saúde..

    Obrigada e abraços

    1. Oi, Luciana!
      Obrigada pelo seu comentário e pelo interesse no meu trabalho.
      Pelo que estudei, o cocô fora da caixinha pode sim ser associado a questões comportamentais e médicas, assim como acontece com o xixi!
      O primeiro a se fazer é consultar o vet mesmo. O gatinho que faz cocô fora da caixinha pode estar com inflamação no intestino, ou sentir dor ao defecar, ou ainda estar com dificuldade para controlar a hora de fazer cocô.
      Caso o vet descarte problemas de saúde, vale a pena olhar os sinais comportamentais. Se o problema persistir, procure um profissional de comportamento!
      Qualquer dúvida, é só perguntar.
      beijo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *