Receba nossas novidades

* indicates required

From the blog

A Higiene Dos Pets

Olá, pet lovers!

O tema do post de hoje foi uma sugestão de uma ouvinte muito querida do Pet Lady No Ar, meu podcast fofinho e peludo (falando nisso, já ouviu? Vai lá, você vai gostar!). A Talita me mandou uma mensagem falando que uma pauta legal seria falar sobre cuidados na higiene dos bichinhos, tipo escovação, limpeza das orelhinhas, dentes, corte de unhas…. Adorei a sugestão da Talita, então decidi fazer o post de hoje sobre cuidados básicos e de higiene com cães e gatos.

Apesar de parecer um tema bem simples, muitas pessoas têm dúvidas nos cuidados cotidianos dos pets. Quero ajudar a orientar os tutores de pets nessas questões! Afinal, é muito forte a ligação entre boas práticas de higiene e a boa saúde do seu pet.

Antes de listar as questões principais relacionadas à higiene dos cães e gatos, quero já lançar uma questão essencial para que tudo corra bem:

Seu bichinho precisa se acostumar à rotina de limpeza e higiene desde sempre!

Se seu pet entrou na sua vida ainda filhote, comece e acostumá-lo com escovas, cheiros, toques desde bebezinho. Se ele já for adulto, não perca mais tempo e faça isso agora! Seu pet precisa ficar tranquilo ao ser tocado e manuseado, isso vai facilitar toda a rotina de cuidado!

Faça, com seu bichinho, um trabalho de associação positiva com a rotina e os objetos de limpeza. Vou dar uma dica sobre a associação positiva, para vocês terem uma ideia: acostume seu cãozinho com o secador desde cedo, por exemplo. Toda vez que você mostrar o secador – ainda desligado – para ele, ofereça um petisco. Faça isso diversas vezes. Depois, ligue o secador longe do seu cãozinho e continue a dar petiscos bem gostosos para ele. Aos poucos, ao longo dos dias, vá aproximando seu cão do secador, sempre dando petiscos (que é a recompensa por seu cão estar apresentando o comportamento que você deseja). Depois deixe seu cão sentir o vento do secador, sempre de pouquinho em pouquinho.

Entenderam o que quero dizer? Acostume seu animalzinho aos poucos aos procedimentos necessários para manter a limpeza e higiene dele. Vá com calma, paciência e sempre recompensando seu bichinho.

  • Escovação dos dentes

Já parou para pensar que nós, humanos, devemos escovar os dentes depois de todas as refeições, mas você não faz o mesmo pelo seu cachorro ou gatinho? Escovar os dentes deles é essencial para garantir a saúde dos bichinhos, assim como é conosco!

Você já se perguntou porque às vezes seu bichinho fica fedorento, por exemplo? Muito disso vem da própria boca do cão ou do gato. Como eles são animais que se lambem muito, o cheiro da boca também se espalha para os pelos e corpo do bichinho.

O ideal é escovar os dentes do seu pet o máximo possível. Sei que é utópico falar em escovação diária dos dentes, mas, se possível, faça isso!

Existem escovas de dentes próprias para os pets (com cabos mais longos, por exemplo), e pastas específicas também (que podem ser engolidas por eles sem risco para a saúde). Além disso, também já existem brinquedos indicados para auxiliar na limpeza de dentes dos pets, além de petiscos que servem para o mesmo propósito.

Limpar corretamente os dentes do seu bichinho vai ajudar a evitar diversos problemas relacionados à boca e aos dentes: gengivite, inflamações e infecções, periodontite, o acúmulo de tártaro…. Esse último, inclusive, só pode ser limpo por um veterinário, na clínica, com o pet submetido à anestesia.

  • Escovação dos pelos

Escovar os pelos do seu bichinho é bom para ele e para estreitar os laços entre vocês também. Isso serve tanto para gatos quando para cachorros, e para animais de pelos longos ou curtos. Escovar diariamente seu bichinho ajuda a remover os pelos mortos e diminuir a espalhação de pelos pela casa.

Para os pets de pelos longos, a escovação diária ajuda a evitar ou tirar nós que surgem na pelagem, além de limpar o bichinho. Os cães que tem pelo longo costumam carregar folhas e gravetos para casa depois do passeio, por exemplo. Eles, assim como os gatinhos, também se sujam muito ao comer ou beber água, então manter os pelos limpos vai ajudar a deixar o pet limpinho de um modo geral.

Uma outra consequência positiva da escovação frequente dos pelos é diminuir as bolas de pelos no estômago dos gatos. Eles formam essas bolas justamente porque ingerem muitos pelos soltos durante o banho deles (ou seja, as lambidas).

Escolha uma escova macia e delicada para a pele do bichinho e faça desse ritual um momento para fortalecer a ligação de vocês.

  • Limpeza das orelhas

Há produtos específicos para limpar a orelhinha dos seus bichinhos. Loções e soluções que te ajudam a conseguir limpar corretamente o pavilhão auditivo dos pets.

O ideal é que a limpeza seja feita de 15 em 15 dias, mais ou menos. Não limpe em excesso! Quando excessiva, pode remover a secreção natural que protege contra infecções bacterianas e fúngicas. Use algodão ou gaze e os produtos próprios para esta tarefa, sempre com muito cuidado, delicadeza e paciência.

Vale lembrar de que este asseio requer muita sensibilidade e atenção, pois o pet pode se mexer ou se coçar e acabar se machucando. Se você notar no algodão manchas de sangue, pus ou secreção marrom não, procure o médico veterinário. Estes são sinais de que algo não está bem.

É muito importante checar a orelha dos bichinhos com frequência, para verificar se há carrapatos (que costumam se alojar lá, especialmente nos cães que passeiam na rua), feridas, manchas, e conversar com o veterinário caso veja algo diferente.

  • Limpeza dos olhos

Alguns cães e gatos tem uma maior propensão a acumular secreção nos olhos e ao redor deles. Nesses casos, o ideal é limpar com soro fisiológico e gaze ou algodão. Há algumas raças – especialmente as braquicefálicas – que tendem a apresentar manchas de lágrimas ácidas ao redor dos olhos. Com certeza você já viu um Shih Tzu ou um gato Persa com algumas manchas embaixo dos olhos, não é?

Apesar do nome de “lágrima ácida”, esse problema não tem nada a ver com o pH da lágrima. O escurecimento dos pelos abaixo dos olhos ocorre quando a lágrima é produzida em excesso. O canal lacrimal não consegue absorver toda a lágrima e escorre para fora do olho. Essa lágrima em excesso causa uma umidade ao redor do globo ocular e em contato com bactérias comuns na flora da região, produz secreção fétida e pode apresentar uma coloração escura.

Os bichinhos de focinho curto apresentam uma predisposição por sua anatomia ocular. Por terem os olhos proeminentes as pálpebras muitas vezes não estão bem posicionadas, além de ter a redução do ducto lacrimal. Pode acontecer de a pálpebra nascer um pouco virada para dentro do olho e os pelos irritarem o globo ocular, causando produção em excesso de lágrimas. Nos casos dos cães que não tem o focinho achatado, como os Poodles e os Malteses, o que pode gerar o excesso de lágrimas são os pelos em volta dos olhos.

Para reduzir essas manchas de lágrimas o tutor deve tentar manter a região dos olhos sempre seca, tirando a secreção que fica ao redor dos olhos, como falei acima. Além disso, existem alguns produtos no mercado que ajudam a tirar as manchinhas. Lembre-se sempre de conversar com o veterinário sobre usar esses produtos.

  • Corte de unhas

Esse item pode gerar alguma polêmica, e por isso mesmo espero o feedback de vocês!

No caso dos gatos, eu sempre indico que os tutores aparem a pontinha das unhas, principalmente das patas dianteiras. Os gatos em ambiente doméstico geralmente não têm onde gastar suas garras de maneira eficiente, como teriam na natureza. Além disso, as unhas dianteiras dos gatos são retráteis – ou seja, não ficam expostas – então elas não são gastas de jeito nenhum. Claro que é super importante fornecer arranhadores para o seu gatinho, mas eles não são suficientes para que o gato gaste as unhas dele corretamente.

Para evitar que eles se machuquem nas brincadeiras – e nos machuquem também! – é bom aparar só a pontinha. Isso vai ajudar no seu relacionamento com seu gatinho, pode acreditar. As brincadeiras e as sessões de carinho serão cada vez melhores e mais agradáveis.

No caso dos cães é um pouco diferente. Eu não costumo indicar que meus clientes cortem a unha dos cachorros, por que elas são expostas (diferente da dos gatos), então os cães costumam gastar as unhas de maneira saudável nos passeios e brincadeiras. A exceção fica por conta dos cães que não passeiam (cães deficientes ou muito idosos, por exemplo), que às vezes precisam ter as pontinhas das unhas cortadas. Nesses casos, eu sempre acho melhor que o tutor procure um médico veterinário para auxiliá-lo.

  • Banho

Via de regra, gatos não precisam tomar banho. Eles são animais auto limpantes, passam quase um terço do dia se lambendo e assentando seu pelo, que funciona como um poderoso isolante térmico. Mas, é claro que há exceções. Gatinhos que tem dermatites costumam precisar de banhos terapêuticos com regularidade, assim como aqueles que tem fungos.

Falando de um modo geral, se o seu gatinho não tem acesso à rua e não tem alguma doença específica, ele não precisa e não deve tomar banho. Uma boa escovada diária ou a cada dois dias será o suficiente para manter seu gatinho com o pelo limpo e brilhante.

Com os cães é um pouco diferente. Como os cães passeiam e frequentam a rua, os banhos são mais necessários do que nos gatos. Dar banho no seu cachorro contribui para que ele mantenha o pelo e a pele limpos e saudáveis. Não existe uma resposta padrão para a pergunta “com que frequência o cão deve tomar banho? ”, já que isso depende de fatores como raça, o tipo de pelo, o tipo de atividade que o cão pratica, os locais que frequenta… Falando de uma maneira muito abrangente, um cão de pelo curto não deve tomar banho mais do que uma vez por mês no inverno e a cada 15 dias no verão. As raças de pelo comprido precisam geralmente de mais cuidados, uma vez que ficam com o pelo mais sujo e embolado. Mas, atenção: não dê banho excessivos no seu cãozinho! Apenas o necessário. Dar muitos banhos desgasta a proteção natural da pele do cão e pode levar ao surgimento de dermatites.

  • Tosa

Muitos pets, em especial os cães, recebem a chamada tosa higiênica com frequência. Ela é importante para justamente ajudar o cão a manter a higiene, especialmente nas raças mais peludas, como Maltês, Poodle, Schnauzer, Shih Tzu, etc. A tosa higiênica normalmente retira os pelos da barriga, da região genital e do ânus, contribuindo para a manutenção da limpeza dessas áreas. Outro lugar muito importante para ser tosado é a sola das patas: alguns cães (e, nesse caso, gatos também), tem um crescimento intenso de pelos entre os “dedinhos”. A razão principal para a retirada dos pelos nessa região é evitar que o animal escorregue na própria pelagem e que tenha dificuldade de se movimentar sem acidentes.

Os animais que tem pelos muito compridos podem ficar com seus pelos embaraçados e com nós, ou até ficar com a pele abafada, o que causa o aparecimento de dermatites, micoses e fungos. A tosa ajuda a deixar os pelos mais soltinhos e ajuda a achar possíveis pulgas e carrapatos, já que fica mais fácil de visualizá-los. Consulte um profissional capacitado e faça a tosa sempre que necessário, para que seu pet esteja continuamente com as áreas importantes aparados.

  • Os objetos e o ambiente do seu pet

Além do cuidado na limpeza do seu bichinho, você precisa limpar os objetos do seu pet: caminhas, mantas e cobertinhas, brinquedos, roupas. Lave sempre os brinquedos com detergente neutro e água corrente. Lave camas e mantas com limpadores enzimáticos, para eliminar focos de parasitas.

Manter o ambiente onde seu pet fica é essencial para garantir a limpeza e higiene dele. Lembre-se sempre de limpar o chão, varrer ou aspirar os pelos soltos e usar um limpador enzimático, que é facilmente encontrado em pet shops.

A maioria dos carrapatos e pulgas se aloja no ambiente e não no cão. Limpar a casa com assiduidade vai ajudar a garantir que não haverá infestações de parasitas na sua casa.

  • Algumas dicas extras:

Como evitar bolas de pelo?

Além da escovação diária dos pelos, como falei mais acima, também existem rações e petiscos que evitam o acúmulo de pelos no estômago do gatinho.

Como evitar os calos nos cotovelos dos cachorros?  

É comum os cães mais idosos desenvolverem escaras ou calos nos cotovelos, especialmente os de porte grande. Isso acontece principalmente se o cão gostar de dormir diretamente no chão e em terrenos que possam machucar, e não em caminhas ou colchões. A fricção dos braços dos cães no chão gera essas feridas. Os cães pesados mesmo jovens também podem desenvolver essas escaras. Para reduzir esse problema o bom é hidratar regularmente a área machucada com um hidratante específico para isso, encontrado em pet shops.

Vale limpar as patas dos cães após os passeios na rua?

Sim! É uma ótima ideia para ajudar a manter a limpeza da casa. Com um lencinho umedecido ou um paninho, limpe toda a região das patas seu cão e dê uma verificada se está tudo certo. Além de limpar a pata você aproveita para conferir se não há ferida ou carrapatos.

Espero que vocês gostem das dicas, pessoal! Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *